Palavra do Sintelmark - 2008

Apoio à regulamentação do setor

diogoNesse momento em que o Governo propõe a discussão sobre a regulamentação dos serviços de relacionamento com clientes, o Sintelmark trabalha junto às associações dando apoio aos órgãos governamentais e fornecendo dados que melhor reflitam a realidade do setor.

Já está em posse do Ministério da Justiça o Probare (Programa Brasileiro de Auto-regulamentação), o conjunto de normas e o Código de Ética criado pelas associações e empresas do segmento de telesserviços, que deverá servir de base para as consultas públicas que vêm sendo realizadas para a melhoria da qualidade do atendimento.

A questão, assinalada pelo Governo, de que a espera para falar com um atendente não ultrapasse 20 segundos, não representa um problema de qualidade. A solução é disponibilizar sistemas e processos, manter profissionais bem-treinados e com salários adequados para que os problemas, dúvidas e solicitações dos clientes sejam resolvidas na primeira ligação. Assim, diminuímos o volume de rechamada e, conseqüentemente, os clientes ficam felizes e mais confiantes nos serviços de contact center.

Antes não tínhamos esse canal de atendimento e, hoje, o telesserviço já está incorporado na rotina dos consumidores que, por exemplo, não precisam se deslocar até uma agência bancária para resolver seus problemas.
A tecnologia nos fornece soluções cada vez mais adequadas ao contact center. O atendimento eletrônico é uma forma mais ágil, menos custosa e dá respostas mais estruturadas às necessidades dos clientes.

O Sintelmark apóia a regulamentação do setor porque acredita que essa iniciativa tem como objetivo melhorar a qualidade do atendimento e a imagem dos serviços de call center no Brasil.

E, como se comemora o Dia Mundial da Voz em 16 de abril, gostaria de parabenizar a todos os operadores, que representam nossas empresas junto aos clientes e consumidores.

Diogo Bujaldon Morales

Voltar